MILITARES SÃO GUARDIÕES DA DEMOCRACIA”— diz PR Sissoco Embaló

0

O Presidente da República, Úmaro Sissoco Embaló, afirmou esta segunda-feira, 16 de novembro de 2020, que os militares são guardiões da democracia, pelo seu papel na manutenção da paz na Guiné-Bissau e o compromisso em continuar a assumir a sua missão constitucional.

Úmaro Sissoco Embaló falava na cerimónia da comemoração do dia das forças armadas guineense, uma data que coincide com a iniciativa do chefe  de Estado de  transladar os restos mortais do antigo Presidente da República, João Bernardo Nino Vieira, do Cemitério Municipal de Bissau para a Fortaleza São José de Amura, na campa dos heróis nacionais: O ato contou com as presenças  do Presidente de Transição do Mali, Bah N’daw, membros do governo, presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas, chefias militares, corpos diplomáticos, familiares e amigos.

Na sua declaração,  Sissoco Embaló disse que data de 16 de novembro é um de tantos outros dias históricos que honra todos os guineenses, prestando homenagem às forças armadas e valorosos combatentes da liberdade da pátria. O chefe de Estado adianta que essa data é uma ocasião ideal para prestar uma justa homenagem a um dos filhos da Guiné-Bissau mais destacado e conhecido como chefe da guerra João Bernardo Nino Vieira, que, em 1973, proclamou, perante África e o mundo, a independência do país, com agraciamento do título póstumo herói da luta de libertação nacional.

Embaló informou que enquanto Presidente da República fará tudo para materializar o sonho de um país próspero, valorizando os sacrifícios daqueles que tombaram durante a luta armada. Defende que a união é importante no seio dos guineenses “para que juntos possamos construir um futuro melhor para o país”.

Para o ministro da Defesa Nacional, Sandji Fati, é chegado o momento para de os homens das Forças Armadas reconciliarem-se, porque “nenhum povo pode avançar e desenvolver-se com permanentes conflitos e contradições. Por isso, diz esperar que o processo da reconciliação avance e seja  concluído. Segundo Sandji Fati, a maior preocupação do executivo é fazer uma gestão criteriosa dos recursos humanos que o país dispõe nas forças armadas, caso contrário os interesses dos homens da farda não coincidirão com interesses da estrutura militar guineense.

Por seu lado, Chefe de Estado Maior das Forças Armadas, General de Exército Biaguê Na N’tam, assegurou que o seu sonho neste momento é garantir a paz e a estabilidade na Guiné-Bissau, construção e reabilitação das infraestruturas militares e continuar a criar condições para a formação dos militares capacitando-os no domínio militar.

Por: Aguinaldo Ampa

Foto: Marcelo N’canha Na Ritche

Covid-19: GUINÉ-BISSAU REGISTA APENAS DOIS NOVOS CASOS E O NÚMERO DE ATIVOS DESCE PARA 87

0

Foram registados no país apenas dois novos casos de infeção e o número dos ativos continua a descer, tendo atualmente apenas 87 casos ativos. O total dos casos acumulados é de 2.421, dos quais 2.286 considerados recuperados, 43 óbitos por Covid-19, 06 óbitos com Covid-19, 87 ativos e nenhum caso internado.

De acordo com o boletim informativo a que O Democrata teve acesso hoje, 16 de novembro de 2020, de 09 a 15 de novembro, as autoridades sanitárias guineenses registaram 31 casos recuperados e foram analisadas 1540 novas amostras, das quais duas testaram positivo e 1538 resultaram negativo. Foram também reapreciadas 11 amostras.

Os dados revelados pelo alto comissariado de luta contra a Covid-19 indicam que a região sanitária de Bissau continua a liderar a tabela com um total de 2.080 casos acumulados, dos quais 1.985 estão recuperados, 29 óbitos por COVID- 19,  04 óbitos com Covid-19 e 62 ativos. Região sanitária de Biombo tem 142 casos, 131 recuperados, 08 óbitos por Covid, 02 com Covid-19 e 02 ativos. Bafatá os dados mantêm-se em 56 casos acumulados, dos quais 46 recuperados, 06 óbitos e 04 ativos. Cacheu também mantém em 46 casos, 42 estão recuperados e 04 ativos.

Quínara voltou a ativar após uma semana sem casos ativos, onde tem um total de 38 casos acumulados, 37 recuperados e um ativo. Região de Oio tem 26 casos, dos quais 21 recuperados e 05 ativos. Região sanitária de Farim conta com 20 casos, 11 são considerados recuperados e 09 ativos.

As restantes regiões continuam sem casos ativos, nomeadamente: Tombali com um total de 09 acumulativos, todos considerados de recuperados. Gabú tem 03 casos cumulados considerados de recuperados. A região sanitária de Bolama tem um caso considerado também recuperado. A região dos bijagós continua sem registrar nenhum caso de coronavírus.

De acordo com a nota à imprensa do Alto Comissariado para a Covid-19, o continente Africano registou 1.393.792 casos cumulativos, dos quais 31.360 óbitos.

Por: Epifânia Mendonça

EXECUTIVO INSATISFEITO COM A DERROTA DA GUINÉ-BISSAU FRENTE AO SENEGAL

0

O secretário de Estado dos Desportos da Guiné-Bissau, Florentino Dias, mostrou-se insatisfeito pela derrota da Guiné-Bissau frente ao Senegal,  embora realçou a entrega dos futebolistas nacionais durante a partida que contava para a quarta jornada da fase de qualificação para Taças das Nações Africanas (CAN2022), a disputar-se nos Camarões,

“Estamos pouco insatisfeitos pelo resultado, embora a nossa equipa tenha feito tudo para levar de vencida a seleção do Senegal. Houve momento inglório aquando da expulsão de Bura, que reduziu a capacidade de equilíbrio”, declarou Florentino Dias.

O governo falava ao Jornal O Democrata este domingo, 15 de novembro de 2020, no final do jogo entre a Guiné-Bissau e o Senegal no Estádio Nacional 24 de setembro em Bissau, que ditou a derrota dos Djurtus por 1-0.

Na ocasião, Florentino Dias disse que apesar da derrota, acredita que é possível que os Djurtus alcancem os seus objetivos.

“Acreditamos ainda que tudo está aberto, não obstante a probabilidade agora está mais reduzida. Mas não é o momento de resignarmo-nos, porque existem ainda possibilidades de qualificação  para o próximo CAN”.

Na sua declaração ao O Democrata relembra aos jogadores que o povo guineense continuará  ao seu lado nesta caminhada.

A Guiné-Bissau perdeu em casa por 1-0 frente ao Senegal, que se tornou na primeira seleção apurada para o CAN. O único golo da partida foi marcado pelo avançado do Liverpool Sadio Mané, aos 81 minutos.

Por: Aliaon Cabral

PR SISSOCO PROMULGA DECRETO PARA A TRANSLAÇÃO DE RESTOS MORTAIS DE NINO VIEIRA PARA A AMURA

0

O Presidente da República, Umaro Sissoco Embalo, acaba de promulgar o decreto que propõe a translação dos restos mortais do antigo presidente da República, João Bernardo Vieira, do Cemitério Municipal de Bissau para o Túmulo dos Heróis Nacionais, na Fortaleza S. José D’ Amura.

De acordo com o decreto tornado público, esta quinta-feira, 12 de novembro de 2020, a cerimónia de transladação dos restos mortais será realizada no dia 16 de novembro, dia das Forças Armadas Revolucionárias do Povo, FARP, e terá honras de Estado.

O executivo decidiu ainda reconhecer, a título póstumo, os feitos heróicos do cidadão João Bernardo Vieira, como um dos mais destacados Combatentes da Liberdade da Pátria durante o processo da Luta Armada de Libertação Nacional.

Neste sentido, o governo atribuí a João Bernardo Vieira, Primeiro Presidente da Assembleia Nacional Popular e ex-Presidente da República, democraticamente eleito, o título de Herói da Luta Armada de Libertação Nacional.

“Aquele a quem o próprio Amílcar Cabral, nosso líder imortal, reconheceu e consagrou como Chefe de Guerra, em 1970, na fase crucial da Luta Armada pela independência Nacional, e a quem a História Contemporânea da Guiné- Bissau conferiu o sagrado privilégio de proclamar, solene e irreversivelmente, o surgimento do Estado da Guiné-Bissau, nas Colinas do Boé”, refere o documento.

“Toda a apologia que se poderá fazer de João Bernardo Vieira, não se distanciará da de um patriota convicto, de um combatente corajoso e destemido, de um líder carismático que galvanizava o seu Povo, de um governante devoto e comprometido com os valores da Democracia e do Estado de Direito Democrático e de um estadista que representou o Estado da Guiné-Bissau, com muita dignidade, no palco das Nações” lê-se no decreto promulgado, esta quinta-feira.

No decreto, é concedida tolerância de ponto no dia 16 de novembro, a partir das 10h (dez horas), a fim de permitir aos funcionários e agentes da Administração Pública, Central e Local e dos Institutos públicos, que assim o desejarem, poderem participar nas celebrações do dia das FARP.

Por: Tiago Seide

Simões Pereira manda recado forte aos “produtores do problema” no PAIGC

O líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Domingos Simões Pereira, afirmou que há pessoas, dentro do partido, que foram pagas para fazer “barulho” sob alegação de que existe problema no seio dos “libertadores”.
Na sua mensagem semanal, sobre assuntos da atualidade guineense, Simões Pereira deixou um recado aos detratores:
“Há gente que foi paga dentro do PAIGC, para fazer barulho e dizer que existe problema no PAIGC. O objetivo é desviar atenção sobre verdadeiros problemas dentro do partido das pessoas que a pagaram. PAIGC está tranquilo e sabe que tem uma liderança clara que saiu de um congresso e vai até ao próximo congresso, em 2022. Os que querem criar problema, aconselhamo-lhes a lerem bem os estatutos do partido e utilizar os estatutos no sentido de defender as suas posições. Se o fizerem fora do quadro legal e sem respeitar os estatutos, serão responsabilizados à letra do que está nos estatutos e no regulamento interno (do partido)”, disse Domingos Simões Pereira.
O líder do PAIGC deixa uma garantia:
“Ter ideias contrárias dentro do partido é perfeitamente normal. Quando chegarmos aos órgãos competentes (do partido), cada qual vai ter o direito de apresentar as suas ideias e defender a sua posição, e no final ouvirmos qual será a decisão desse órgão”, afirmou.
Domingos Simões Pereira encontra-se fora da Guiné-Bissau há dez meses, sendo a mais longa ausência do país, desde que assumiu a liderança do PAIGC, em 2014.
Por CNEWS/Conosaba do Porto

Política/PR recomenda abolição de isenção ao  pagamento de cargas nos Portos e nas Alfândegas

Bissau, 13 nov 20 (ANG) – O Presidente da República recomendou   a abolição de isenção ao  pagamento de cargas nas alfândegas e no porto de Bissau.

A recomendação foi feita aos responsáveis destas instituições pelo  Chefe de Estado  Umaro Sissoco Embalo na quinta-feira no final da visita que efetuou as instalações do cais de Bissau e das Alfândegas.

Em relação ao Porto comercial de Bissau justificou a medida com a necessidade de angariar fundos para a drenagem do caudal do Porto que  corre o risco de não poder receber  barcos de grande porte.

“Dei orientações ao ministro dos Transportes e Comunicações, Jorge Mandinga e ao Diractor-geral do porto Felix Blutna Nadunguê de que a partir de hoje, não há mais isenção no pagamento das cargas no porto, mesmo que a carga seja do Presidente ou do primeiro ministro. O porto tem que recolher receitas, disse.

Em relação as Alfândegas o Presidente da República disse  que  2021 será o ano de “Dragão”  ou seja ano em que a direcção da referida instituição deve trabalhar ainda mais para recolha de mais receitas.

O Ministro dos Transportes e Telecomunicações disse que a visita do chefe de Estado demonstra a sua preocupação em relação ao estado das infraestruturas do país e que o Porto é uma das principais infraestrutura da Guiné-Bissau.

Mandinga acrescentou  que para além da drenagem do Porto é preciso drenar  o canal de acesso, e proceder a colocação de faróis de   sinalização para permitir o funcionamento do porto de Tchetchi para escoamento do fosfato de Farim.

Instado sobre o início previsto para esta sexta-feira da greve no aeroporto anunciado pelos funcionários que reivindicam o pagamento de salários em atraso de oito meses, Jorge Mandinga disse que o processo de privatização do aeroporto é da iniciativa do então governo liderado por Aristides Gomes.

“SAA é uma empresa privada, é preciso que fique muito clara. Não estamos a privatizar uma empresa pública, o que está ser feito agora, o Estado vai sair dando o seu capital à uma outra empresa que está em condições de fazer melhor, porque vai certificar se os  funcionários  têm condições de manejar os novos equipamentos a ser instalados, e que aumentará a segurança no aeroporto”, disse.

Afirmou  que todos os trabalhadores vão ser indemnizados de acordo com o contrato de trabalho de cada um.

O Director-geral dos Portos de Bissau, Felix Nandunguê  disse estar satisfeito  ao ouvir o apoio que o Presidente Umaro Sissoco Embaló pretende dar ao Porto.

Segundo Nandunguê que cita dados de um estudo, se não houver  drenagem, dentro de dois anos barcos de grande porte não poderão se atracar no Porto de Bissau.

O Presidente Sissoco Embaló  prometeu usar a sua influência para conseguir meios financeiros que permita a realização da drenagem no Porto de Bissau, e diz estar convicto de que  os trabalhos de drenagem  podem começar no início do próximo ano.ANG/LPG//SG

PR RECOMENDA FIM DAS ISENÇÕES NOS PROCESSOS DE DESALFANDEGAMENT0

0

O Presidente da República, Úmaro Sissoco Embaló, disse na quinta-feira, 12 de novembro de 2020, ter recomendado o fim das isenções nos processos de desalfandegamento e anunciou que no eventual processo  da remodelação governamental, o ministério dos transportes e comunicações passará a funcionar no Palácio do governo, porque “não é digno que um ministério com várias direções funcione no edifício da direção-geral de um outro ministério”.

Sissoco Embaló falava depois da visita à Administração dos Portos da Guiné-Bissau (APGB) e à direção-geral das alfândegas,  na qual o chefe de Estado avisou que não deve haver isenção para ninguém.

“Nem para mim, nem para os ministros. Que fique bem claro que o porto de Bissau precisa do dinheiro… E tudo que é cobrado deve obedecer às normas e às leis”.

PR defendeu que há necessidade de ser feita a reforma e estruturação do corpo operacional das alfândegas que está a assegurado pelos efetivos  do ministério do interior.

“Nos outros países da UEMOA não é assim é que se funciona, as alfândegas têm o seu próprio corpo operacional. Portanto, devemos replicar tudo o que é de bom dos outros países para termos o mesmo formato”, realçou.

Relativamente ao porto, o Presidente da República sublinhou a necessita de iniciar o processo drenagem antes do final do ano, porque caso  contrário corre-se o risco de não puder receber os barcos de grande porte, tendo em conta que a última drenagem foi feita em 1973.

“Não podemos continuar a ser um Estado pedinte”, desafiou, prometendo alargar as visitas às regiões.

Por seu lado, o diretor geral da APGB, Félix Nandungue, alertou que, de acordo com um estudo feito, daqui a dois anos, a Guiné-Bissau não poderá receber navios de grandes portes, devido à falta da drenagem dos portos e canais, facto que preocupa a sua direção dada a  grande importância que o porto tem  para a economia nacional.

Na sua declaração, o diretor-geral das alfândegas, Doménico Sanca realça a visita do chefe de Estado às instalações dos portos de Bissau e garante que sua instituição trabalhará para honrar o Orçamento Geral do Estado (OGE), através da duplicação e fiscalização das receitas do Estado.

Por: Epifânia Mendonça

CARLOS LOPES: África à procura de inverter saldo negativo com a Europa

CARLOS LOPES: África à procura de inverter saldo negativo com a Europa

África quer falar a uma só voz com a Europa na negociação de acordos, quando o saldo negativo – para os africanos – das trocas comerciais entre os dois continentes é quase o triplo da ajuda global anual europeia ao continente vizinho.

Objetivo confiado ao recém-eleito alto representante da União Africana para as negociações com a Europa, o economista guineense Carlos Lopes.

Em entrevista exclusiva ao programa de relações internacionais da RTP Olhar o Mundo, o professor da Universidade da Cidade do Cabo destaca que “a Europa tem estado a discutir muitas questões africanas – nomeadamente relacionadas com as migrações – sem necessariamente consultar os africanos e isso tem de mudar um pouco de rumo”

Guiné-Conacri: Tribunal Constitucional confirma vitória de Alpha Condé

O Tribunal Constitucional acaba de proferir sentença, confirmando a vitória de Alpha Condé na eleição presidencial de 18 de outubro, na Guiné-Conacri.
A instituição encarregue de julgar a disputa eleitoral deu o seu veredicto, neste sábado (07.11), com a sentença definitiva, sem outro recurso.
O Tribunal Constitucional validou a eleição de Alpha Condé como primeiro presidente da 4ª República, para um terceiro mandato de seis anos.
O Tribunal teve a escolha entre cancelar a votação e ordenar o seu reinício ou confirmar os resultados provisórios apresentados pela CENI (Comissão Eleitoral Nacional Independente). Ele optou pela segunda, confirmando assim a vitória de Alpha Condé com 59,50%. Ele fará um juramento perante o Tribunal Constitucional.
Onze candidatos estavam concorrendo às eleições presidenciais em 18 de outubro.Quatro deles entraram com recursos perante o Tribunal Constitucional.
Entre eles estão Cellou Dalein Diallo, Ousmane Kaba, Makalé Traoré e Abé Sylla.O Tribunal declarou admissíveis os recursos dos requerentes, mas negou provimento a todos, um a um, por considerá-los infundados.
Por Africaguinee
 
Conosaba///capitalnews.gw

Barack Obama saúda “vitória histórica e decisiva” de Joe Biden

O antigo presidente dos Estados Unidos Barack Obama saudou hoje a vitória histórica nas eleições presidenciais do seu antigo vice-presidente Joe Biden, considerando que tem “desafios extraordinários” pela frente.
 
“Nestas eleições, em circunstâncias nunca experimentadas, os americanos foram votar em números nunca vistos. E uma vez contados todos os votos, o Presidente-eleito [Joe] Biden e a vice-presidente-eleita [Kamala] Harris terão ganho uma vitória histórica e decisiva”, pode ler-se numa declaração de Obama publicada na rede social Twitter.
O antigo presidente democrata (2008-2016) disse não poder “estar mais orgulhoso por congratular” Joe Biden e a próxima primeira-dama, Jill Biden, bem como “Kamala Harris e Doug Emhoff pela eleição inédita” da senadora como vice-presidente, sendo a primeira mulher negra e asiática-americana no cargo.
Lusa