Primárias no PAIGC: SERIFO NHAMADJO PREOCUPADO COM CONSEQUÊNCIAS DA PARTICIPAÇÃO DE DOMINGOS SIMÕES PEREIRA

19/08/2019 / OdemocrataGB / No comments

 

O Ex-Presidente de Transição, Manuel Serifo Nhamadjo, mostrou-se hoje, 19 de agosto de 2019, preocupado com a desunião que as primárias pode trazer ao Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) se o seu presidente concorrer e perdê-las.

Na observação de Serifo Nhamadjo, Domingos Simões Pereira enquanto líder do seu partido tem um papel importante após as primárias, que é promover a união e servir-se ao mesmo tempo de ponto de ligação e da coesão entre os candidatos que vão às primárias do PAIGC.

Nhamadjo defende que a democracia interna do partido seja muito saudável e coesa, exorta por isso transparência na atuação da equipa que vai conduzir a elaboração dos critérios para os candidatos às primarias.

“Está a ser elaborado um documento que vai definir critérios dos candidatos é bom que seja uma coisa transparente e congregadora, permitindo assim que qualquer concorrente se sinta à vontade. E é bom ressalvar dois aspectos que quem vai participar na elaboração e definição dos critérios não pode ser concorrente por questões de transparência e isenção, para que todos possam concorrer em pé de igualdade e mediante votos secretos”, defendeu Nhamadjo.  

Referiu, no entanto, que o país precisa de uma pessoa que serve de ponte, ou seja, pessoa que põe diálogo no primeiro plano. O ex-Presidente de transição  acredita pois que ele está perto deste perfil, atendendo a experiência acumulada de dois anos na presidência (2012 a 2014).

“Quero ser a pessoa que vai às presidenciais apoiada pelo PAIGC e ser ainda presidente de todos os guineenses. Se eu perder, vou acompanhar quem vai às presidenciais pelo PAIGC”, notou.

E desmente quaisquer informações sobre a sua desistência na corrida às primárias dos libertadores, uma oportunidade que lhe dá a possibilidades de chegar  às eleições presidenciais de 24 de novembro, caso vença as primárias do PAIGC.

Por: Epifania Mendonça

CRE DE BAFATÁ E CACHEU NEGAM TEREM AMEAÇADO BOICOTAR ELEIÇÕES DE 24 DE NOVEMBRO

19/08/2019 / OdemocrataGB / No comments

 

Os presidentes das Comissões Regionais de Eleições de Bafatá (leste do país) e Cacheu (no norte da Guiné-Bissau) negaram que em nenhum momento ameaçaram boicotar o processo de realização das eleições presidenciais de 24 no novembro próximo. 

Admitem, contudo, a possibilidade de existir défice de comunicação entre a Comissão Nacional de Eleições (CNE) e as Comissões Regionais de Eleições (CRE).  Face aos jornalistas, os responsáveis defenderam a necessidade de concertações através de um diálogo franco.

Em reação esta segunda-feira, 19 de agosto de 2019, às informações postas a circular nos órgãos de comunicação social em como as CRE’s e Comissão Nacional de Eleições (CNE) estejam a atuar de costas viradas, Nelson Menezes D’Alva, presidente de Comissão Regional de Eleições de Bafatá mostrou-se bastante apreensivo e preocupado com tais informações, que considera “infundadas” e que não correspondem minimamente à verdade.

A reação de Nelson Menezes D’Alva à imprensa aconteceu após um encontro com presidente de Comissão Nacional de Eleições, José Pedro Sambú, para se esclarecer sobre o alegado impasse. Segundo Nelson não há motivos que possam leva-los a assumir tal atitude.

Por: Carolina Djeme

JOMAV PEDE MAIS UNS DIAS PARA ANUNCIAR SE É CANDIDATO ÀS PRESIDENCIAIS

17/08/2019 / OdemocrataGB / No comments

  0  0  0

O chefe de Estado da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, pediu hoje aos seus apoiantes mais uns dias para anunciar se é candidato às eleições presidenciais, marcadas para 24 de novembro.

“Peço mais uns dias”, disse o Presidente guineense num encontro, que reuniu centenas de apoiantes provenientes de várias regiões da Guiné-Bissau, organizado pela Plataforma de Apoio a Jomav, nome pelo qual é conhecido o chefe de Estado.

“Peço-vos só uns dias e daremos uma resposta. Daremos uma resposta em função de tudo aquilo que aqui disseram”, salientou o Presidente.
O Presidente guineense terminou o mandato em 23 de junho, mas vai permanecer no cargo até à eleição de um novo chefe de Estado.

A primeira volta das presidenciais na Guiné-Bissau está marcada para 24 de novembro, a segunda volta, caso nenhum candidato obtenha a maioria dos votos, está prevista para 05 de janeiro.

Dos vários possíveis candidatos às presidenciais do país, até ao momento, já confirmaram a sua candidatura dois antigos primeiros-ministros do país, nomeadamente Carlos Gomes Júnior, como independente, e Umaro Sissoco Embalo, candidato do Movimento para a Alternância Democrática, partido criado em 2018 e que foi o segundo mais votado nas legislativas de 10 de março.

In LUSA

Odete Semedo: “GOVERNO IRÁ FAZER TUDO PARA QUE AS ELEIÇÕES PRESIDÊNCIAS SEJAM LIVRES JUSTAS E CREDÍVEIS”

16/08/2019 / OdemocrataGB / No comments

  0

A Ministra da Administração Territorial e Gestão Eleitoral, Maria Odete Costa Semedo, disse esta sexta-feira, 16 de agosto de 2019, que o governo, através do seu ministério e todas as instâncias que intervêm na gestão eleitoral, irá fazer de tudo para que as eleições presidenciais marcadas para novembro do ano em curso sejam livres, justas, inclusivas e transparentes e reconhecidas a nível nacional e internacional como um processo credível.

Odete Semedo falava na cerimónia de abertura da apresentação do plano operacional para a consolidação do registo eleitoral para as eleições presidenciais de Novembro prόximo, realizada no Palácio do Governo e que contou com a presença de representantes dos partidos políticos, Comunidade Internacional residente no país, organizações da sociedade civil e das organizações de mulheres.   

“A colaboração que se requer não se trata de dar benefícios de dúvida, mas sim de demonstrarmos a nόs mesmos que cada um de nόs acredita em si próprio, por isso quer acreditar no outro e naqueles que têm essa responsabilidade sob os seus ombros de preparar  e organizar as eleições presidenciais”, referiu.  

O plano prevê a imediata correção, até 15 de setembro das omissões, recuperação e validação simultânea de 25 mil registos de eleitores omissos no recente recenseamento eleitoral de 2018/2019 e elaboração dos cadernos eleitorais com as devidas correções. 

Por: carolina Djemé 

PRESIDENCIAIS 2019» LÍDER DO PAIGC AFIRMA ESTAR DISPONÍVEL PARA AVANÇAR CASO O SEU PARTIDO ASSIM ENTENDER

DSP, Líder do PAIGC diz estar disponível para o cargo caso partido assim queira
Bissau 15 Ago 19 (ANG) – O Presidente do Partido Africano da Independência da Guine e Cabo-Verde (PAIGC),garantiu esta semana estar disponível para avançar para as eleições Presidenciais de 24 de Novembro, caso o seu partido assim o decidir.
Domingos Simões Pereira citado pela emissora alemã Doche Wella disse que desde logo criou esta expectativa aos guineenses, frisando que por isso não pode virar a cara à luta. 
Pereira afirma que as sensibilidades existentes no PAIGC saberão interpretar a sua disponibilidade, tendo assegurado que a decisão sobre quem será o candidato do partido às eleições presidenciais será conhecida dentro de poucos dias. 
“Estamos à 10 dias de tomar esta decisão e posso garantir que dentro deste partido e de acordo com ele vamos ter uma reunião do presídio para estabelecer a agenda da Comissão Permanente”, disse. 
De acordo com o político, uma proposta será apresentada ao Bureu Político do PAIGC e caberá o Comité Central deliberar sobre o candidato a escolher, salientando que ainda é cedo para avançar com as propostas concretas, tendo avançado que não será necessário mudar a Constituição para alterar o regime semipresidencialista, frisando que este sistema é mais democrático do que os outros sistemas. 
Para Simões Pereira, o Presidente da República deve ser uma figura que promove o diálogo permanente com todos em busca de consensos que favoreçam a construção da Nação guineense. 
Simões Pereira admite que o principal adversário poderá ser o Presidente da República cessante José Mário Vaz. 
O líder do PAIGC disse que, em termos pessoais, não sentiu atingido pela não nomeação para o cargo de Primeiro-ministro mas que enquanto cidadão sentiu-se atingido, tendo afirmado que é um claro atentado às regras democráticas. 
Considera que um Chefe de Estado que não aceita aquilo que é o resultado de uma eleição legislativa, não tem condições para contribuir para a consolidação democrática. 
“O exercício das funções públicas obriga a uma preparação de cada um dos titulares, para compreender que está a desempenhar uma missão e não a escolher aquilo que é o mais conveniente para ele porque nenhum de nós foi escolhido para gostar ou não do outro”, frisa DSP como também é conhecido o líder do PAIGC. 
Disse não estar preocupado com a candidatura independente do ex-Primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior(Cadogo filho),que mantém a condição de militante do partido. 
“Se é essa a condição que o Cadogo apresenta como candidato as presidenciais deve ter o seu respeito e consideração. Espera-se que também no uso das suas liberdades o povo guineense saiba decidir se ele tem condições para o efeito ou não”, sublinhou. 
Domingos Simões Pereira, que regressou na terça-feira ao país, estabeleceu contactos com varias entidades da diáspora guineense em Portugal, com os quais reflectiu sobre a situação, política, social e económica da Guiné-Bissau. 
Conosaba/ANG/MSC//SG

GOVERNO GUINEENSE INICIA CONSOLIDAÇÃO DE REGISTO ELEITORAL PARA PRESIDENCIAIS

O Governo da Guiné-Bissau apresentou hoje o Plano de Consolidação do Registo Eleitoral para as eleições presidenciais, marcadas para 24 de novembro, e que prevê consolidar os dados de quase 25.000 eleitores.

Cidadãos foram impedidos de votar nas eleições legislativas devido a falhas técnicas registadas durante o recenseamento eleitoral, que levaram a que o seu nome não constasse nos cadernos eleitorais, apesar de muitos terem cartão de eleitor.
“O Governo vai fazer tudo para que as eleições presidenciais sejam livres, justas e transparentes e reconhecidas a nível nacional e internacional como credíveis”, afirmou a ministra da Administração Territorial, Odete Semedo, na apresentação do plano, no Palácio do Governo, em Bissau.
O plano, segundo a ministra, é uma forma de permitir que aqueles cidadãos exerçam o seu direito de cívico e que por “lapso ou erro” foram impedidos de votar.
Um despacho da Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau determina que a consolidação dos dados tenha início sábado e decorra até 15 de setembro, bem como a reativação das comissões regionais eleitorais para que possam supervisionar e fiscalizar as correções das omissões verificadas no recenseamento eleitoral feito para as legislativas de 10 de março.
Dados do Gabinete Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral (GTAPE), divulgados hoje à imprensa, indicam que existem 3.835 eleitores omissos na região de Tombali, 85 na região de Bolama/Bijagós, 2.857 na região de Bafatá, 2.187 na região de Gabu, 7.326 na região de Cacheu, e 1.979 no setor autónomo de Bissau.
A Guiné-Bissau realiza eleições presidenciais a 24 de novembro, estando a segunda volta prevista, em caso de necessidade, para 05 de janeiro de 2020.
Conosaba/Lusa

ONU: Nova representante Especial do SG é uma activista

Activista dos direitos humanos e igualdade de género, nomeada como nova Representante Especial do Secretário-geral da ONU na Guiné-Bissau!

O Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, anunciou hoje a nomeação de Rosine Sori-Coulibaly do Burkina Faso como sua nova Representante Especial para a Guiné-Bissau e Chefe do Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Construção da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS).

Ela serviu mais de 20 anos às Nações Unidas em várias funções a nível sénior, nomeadamente como Representante Especial Adjunta do Secretário-Geral no Burundi, Coordenadora Residente, Coordenadora Humanitária e Representante Residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2011). Foi Coordenadora Residente e Representante Residente do PNUD no Togo (2006-2011) e no Benim (2014-2016).

Antes de se juntar a ONU, ela foi um membro ativo em organizações da sociedade civil, em particular aquelas que lutam pelos direitos humanos e pelo empoderamento das mulheres.

É mestre em economia do desenvolvimento pela Universidade Cheikh Anta Diouf do Senegal e pós-graduada em planeamento e macroeconomia pelo Instituto Africano de Desenvolvimento e Planeamento Econmico das Nações Unida

INCONFORMADOS CRITICAM SERVIÇOS CONSULARES DE PORTUGAL EM BISSAU

I

O Movimento dos Cidadãos Conscientes Inconformados (MCCI) considera de desumana a forma como os guineenses são tratados nos serviços consulares de Portugal na Guiné-Bissau.
Em conferência de imprensa segunda-feira (29), o presidente do Movimento dos Inconformados, Sana Canté teceu  críticas por alegada  morosidade nos processos de atendimentos na embaixada de Portugal na Guiné-Bissau.Canté diz ser “fatigante e custoso” o acesso aos serviços da embaixada porque os guineenses ficam anos a espera de um agendamento para a concepção de visto de entrada à Portugal.“Até os serviços mais simples da embaixada de Portugal é muito custoso para os cidadãos guineenses porque são obrigados a ficar dias para conseguir um simples agendamento ou uma simples autenticação de documentos”
O MCCI volta a criticar as recentes nomeações dos conselheiros e assessores do primeiro-ministro.Sana Canté disse que a não revogação da decisão está a fechar os meios pacíficos para resolver a situação.“O primeiro-ministro ainda não se pronunciou sobre a revogação exigida pelo MCCI. Estamos aqui para mandá-lo recado de que ignorar as exigências do MCCI não o irá ajudar em nada porque está a consubstanciar-se numa situação de fecho de todas as possibilidades de diálogo”, disse.Caso Aristides Gomes não voltar atrás com a  sua decisão, Sana Canté disse que a sua organização vai accionar outros mecanismos legais para fazer valer as suas exigências.“O despacho da nomeação absurda dos seus conselheiros tem que ser revogado, caso não seja feito, dentro de alguns dias, o MCCI irá adoptar outros meios para resolver esta questão”, anunciou Canté.O movimento dos Cidadãos Conscientes e Inconformados já havia entregue  uma carta ao Gabinete do Primeiro-ministro através da qual exige  a revogação do despacho,   agora surge contra o silêncio do chefe do governo em relação às suas exigências.O primeiro-ministro, Aristides Gomes, tinha dito que as nomeações não acarretam despesas ao Estado e que as nomeações iriam continuar pelo bem do país.Trata-se de nomeação de mais de 20 conselheiros e assessores do Primeiro-ministro, para diferentes áreas de actividades, decisão criticada igualmente pelos partidos da oposição.Notabanca; 30.07.2019Publicada por notabanca à(s) 11:38

FALTA DE OXIGÉNIO NO HNSM PREOCUPA PROFISSIONAIS DE SAÚDE

O Bastonário da Ordem dos Enfermeiros da Guiné-Bissau diz estar preocupado com a falta de produção do Oxigénio na fábrica do Hospital Nacional Simão Mendes (HNSM), maior centro da Guiné-Bissau, facto que coloca em risco a vida das pessoas

Entretanto, ontem (29 de Julho), numa entrevista à Rádio Sol Mansi (RSM), o Bastonário da Ordem dos Enfermeiros, Alberto Gomes, sustenta que a preocupação já foi tornada pública junto das autoridades competentes.

Alberto diz que a falta de Oxigénio coloca em causa os trabalhos no bloco enfermaria e no bloco operatório porque a Clinica Madrugada (que fornece oxigénio) não está a conseguir abastecer com a quantidade suficiente.

“Nesta época chuvosa temos vários doentes que padecem de problemas respiratórios e que precisam de oxigénio e constitui um grande problema. Não se pode tratar um doente no bloco operatório sem oxigénio e na enfermaria se não tiver oxigénio para oi ajudar a respirar, o paciente o médico fica de mãos atadas e o doente corre o risco de morrer”

Para o Bastonário, comprar Oxigénio não é solução para o Hospital Simão Mendes.

“Deve-se ter uma fábrica para produzir o oxigénio em quantidade desejada para fazer cobertura de todas as enfermarias para, de certa, forma suprimir a necessidade da população”

Para breve funcionamento da fábrica do oxigénio

Entretanto, também numa entrevista à RSM, o secretário de Estado da Gestão Hospitalar, Anaximandro Casimiro Menut, promete que, até ao final do próximo mês de Agosto do corrente ano, a fábrica de Produção do Oxigénio no Hospital Nacional Simão Mendes, vai voltar a produzir este produto indispensável no sistema da saúde.

Anaximandro explica que o governo está mobilizado em resolver o problema e chama a atenção que não é preciso ser alarmada a falta de oxigénio no “Simão Mendes” e não significa que o país está em carência total.

“Apesar de na saúde tudo é urgência e emergência mas é preciso, essencialmente, na saúde para não haver pânicos. Não significa que não existe a carência total do oxigénio, o problema é que não existe o suficiente porque a clinica madrugada não consegue abastecer com a quantidade suficiente devido a alguns constrangimentos.

Casimiro Menut diz que a actual direcção está a trabalhar para retornar a confiança da população no sector da saúde.

“Vimos o sector da saúde desmotivado e nos olhos das pessoas não se vê médicos e profissionais com brio de trabalhar”.

A falta de oxigénio no Hospital Nacional Simão Mendes (maior no país) foi por várias vezes motivo de series de críticas devido ao seu impacto na vida humana. 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos

radiosolmansi.net

DSP SOL MAIOR PRESIDENTE

Depois de toda a luta gloriosa pela estabilização do país, ao longo dos 4 anos, DSP Sol Maior foi impedido de ser PM.
É preciso sermos injustos e cruéis com este homem, para lhe tirar o direito de concorrer as presidenciais.
Todos nós, claro, apoiamos e votamos no PAIGC (sem sermos militantes) para que o DSP dirija o Governo. Sabemos que ele tem energia e competência de sobra para isso. Mas dada a circusntancia e na impossibilidade de o termos como PM, em vez de assumirmos o risco de perder as presidenciais com candidatos fracotes e ter roturas no partido, sentimos que não há alternativa melhor que o DSP, naquele partido, para ser Presidente da Republica e garantir a estabilidade governativa.
Não podemos continuar com a velha narrativa “esta é a vez do fulano ou beltrano”. Em cada momento, temos que ter discernimento de avaliar as circunstâncias, os desafios, os riscos e as oportunidades e escolher o melhor entre nós. Não é novidade para ninguém que neste momento, DSP Sol Maior é o político mais bem preparado na Guiné-Bissau.
Ele não tem opção. Corre o risco de terminar, de uma forma prematura, o seu brilhante percurso politico se não avançar como candidato. Ele foi imposta esta situação e nós exigimos que o partido e a coligação dos partidos democráticos escolhem DSP como único candidato e, duma forma definitiva, encerrarmos esta página negra e abrimos uma nova era.
DSP não estamos a pedir-te para candidatar, estamos a obrigar que sejas candidato as presidenciais. Estamos a exigir que sejas o nosso futuro presidente. Confiamos em ti e sabemos que tens dotes para isso.
Se ele é teu candidato partilha e mete gosto.
DSP rumo a presidencia.
Fonte: Movimento DSP Sol Maior