CABEÇA DE LISTA DOS DEPUTADOS DO PAIGC

No hay descripción de la foto disponible.

1- Dan Iala
2- Higino Cardoso 
3- Mamadi BALDÉ
4- Joana Inacia Gomes 
5- Wasna Papai Danfa
6- Joao Sediba SANÉ 
7- Lassana Seidi 
8- Papa Mané
9- Gabriela Fernandes 
10- Cipriano Cassama 
11- Joaquin Amaro 
12- Fofana Keita 
13- Matilde Indequi
14- Suzi Barbosa 
15- Demba Buaro 
16- Caramba Saco 
17- Carmen Djamanca 
18- Saliu Embalo 
19- Carlos Nhaté 
20- Adiato Djalo
21- Helder Barros 
22- Leopoldo Da Silva 
23- Iafai Sani 
24- Almame Cassama 
25- Camilo Simoes Pereira 
26- Mario Musante 
27- Maria Odete Semedo 
28- Domingos Simoes Pereira 
29- Califa Seidi
7:11
CE 1: Catió/Komo
Efectivos:
1. Dan Iala Barançau
2. Ansumane Sanhá 
3. Luta Sambu. 
Suplentes:
1. Aminata Sila 
2. Amara Camará
3. Úsai Djalo 
4. Fatumata Djassi
5. Tcherno Indjai.

CE 2. Quebo/Cacine
Efectivos
1. Higino Lopes Cardoso
2. Amadu Saico Seidi
3. Ildefonso Duarte Pinto
4. Biloni Nhama Tamba Nhasse
Suplentes:
1. Braima Edy Sambu
2. Buine Na Fentche
3. Suleimane Seidi
4. Aliu Queita
5. Amido Sila.

CE 3. Empada/ Bedenda
Efectivos
1. Mamadi Baldé 
2. Secuna Djassi
3. Iancuna Djola Indjai
Suplentes
1. Djibril Mané
2. Adja Sali Cassamá
3. Marcos Foubre Intchasso
4. Lassana Sandé
5. Abulai Indjai.

CE 4. Buba/Fulacunda
Efectivos
1. Joana Inacia Gomes
2. Viríssimo Tamba
3. Maria Fatima Barbosa Mané
Suplentes:
1. Meta Mané
2. N’Queba Cia 
3. Malam Mané 
Faltou dois nomes.

CE 5 Bissorã 
Efectivos 
1. Wasna Papai Danfá 
2. Maimuna Sila
3. Nene António Mango 
4. Marcelino Soares Tavares
5. Malam Cassamà 
Suplentes:
1. Adjiriato Ajuma Turé
2. Zandonide T. dos Santos 
Suleimane Darame 
3. Silvestre Darame
5. Malam Sonco

CE. 6 Farim
Efectivos
1. João Seidiba Sané
2. José António C. Almeida
3. Braima Djalo
4. Sslimatu Sanhá 
Suolentes:
1. Quipa Có
2. António Sani 
3. Caramo Baio
4. Iaia Baldé (Candjambari)
5. Fodé Cassamá

CE 7 Mansaba 
Efectivos 
1. Lassana Seidi
2. Ussumane Camará
3. Mamadu Djabi Junior
Suplentes:
1. Binto Nanque Seidi
2. Domingos Soares
3. Eng. Malam Djassi
4. Cussa Sissé
5. Bacar Bodjam.

CE 8 Mansoa/Nhacra
Efectivos
1. Papa Mané
2. Victor Naneia
3. Cecília Lopes Mendonça
4. Mamadu Serifo Djalo
Suplentes:
1. Nheta Na Onça
2. Saido Sila
3. Lola Felix Bari 
4. Francisca de Pina Rodrigues2

CE 9 Quinhamel/Ondam
Effective 
1. Gabriela Fernandes
2. Alberto da Silva
3. João Bernardo Vieira
Suplentes:
1. Morais Albino Silva Có 
2. Male Lopes Nusante
3. Valentina Mendes
4. Justino Nanque
5. Humberto Augusto Có

CE 10 Safim/Prabis
Efectivos 
1. Cipriano Cassamá 
2. José Miguel Dias
3. Djariato Gomes Djalo
Suplentes:
1. José Djo 
2. Sona Mané 
3. Quintino da Silva Có 
4. Cadidjatu Baldé Coté
5. Policarpo Marcos Lopes.

CE 11. Bolama/ Bijágos
Efectivos
1. Joaquim Amaro G. Mustasse 
2. Francisco Conduto de Pina
3. Mandu Camará
Suplentes:
1. Marcelino Pedro Delgado
2. Maria Eugénia 
3..Dionísio do Reino Pereira
4. Osvaldo Vieira
5. António Domingos.

CE. 12 Bafatá/ Cossé
Efectivos
1. Fofona Keita 
2. Infamara Só 
3. Sira Mané Fati 
4. Salum Turé
5. Aladje Candé
6. Adelaide de Pina
Suplentes
Falta os suplentes.

CE. 13 Bambadinca/Xitole
Efectivos 
1. Matilde Indeque
2. Aliu Seidi
3. Djae Seidi
Suplentes
1. Octaviano Cesar A. Cruz
2. Mariama Mané 
3. Iaia Djalo

CE. 14 Ganadu/ Contuboel
Efectivos
1. Suzy Carla Barbosa 
2. Anha Baldé 
3. Malam Mané 
4. Mussa Baldé 
5. Gilberto Fernando 
Suplentes
2
1. Aua Baldé 
2. Braima Dajssi
3. Saico Zacarias Baldé 
4. Arafam Bangura
5. Tomasia Manjuba

CE. 15 Pitche/Boé
Efectivos
1. José Demba Buaro
2. Saico Umaro Embalo
3. Moro Mané 
4. Santanem Sila Candé
Suplentes
1. Tala Camará
2. Braima Corca Embalo
3. Aba Serra
4. Bacar Camará
5. Maimuna Baldé

CE. 16 Gabu
Efectivos
1. Caramba Saco
2. Pedro Moreira Embalo
3. Silvina Gomes O. Mendes
4. António Queba Banjai
Suplentes
1. Noé Lopes
2. Amadu Baldé 
3. Fatumata Aio Banjai
4. Mamadu Serifo Djalo
5. Victor Oliveira Mendes

CE 17 
Efectivos 
1. Umaro Demba Djamanca
2. Augusto Olivais
3. Cumba Sinho Só
Suplentes
1. Rosa Baldé 
2. Samba Baldé 
3. NBali Nadama 
4. Francisco Abduramane So9
5. Iaia Djalo

CE 18 SONACO 
Efectivos 
1. Saliu Embalo 
2. José Carlos Esteves
3. Abulai Bobo Sissé 
Suplentes
1. Fanta Baldé 
2. Amadu Baldé 
3. Celestino dos Santos 
4.Caramba Sauané

CE. 19 Bula/ Bigene 
Efectivos
1. Carlos Nhate
2. Victor Cassamá 
3. Fanta Adelino Dahaba 
4. Guilherme Damas 
5. Braima Biai
Suplentes
1. Abulai Biai
2. Margarida Delgado
3. Aljuma Sidibé
4. Emiliano Mendonça 
5. Sumai Baldé

CE. 20 Canchungo/ Caio
Efectivos
1. Maria Adiato Djalo Nandingna
2. Amizade Farã Mendes
3. Mario Saiegh 
4. Teresa Sanca N’ Doi 
5. Vicente Cachia
Suplentes
1. Badjudessa Uol Mendes
2. Seco Cubaba 
3. Mafalda Pereira
4. Javier Pana Nalibleque.

CE. 21 Cacheu/ S. Domingo
Efectivos 
1. Helder Henrique de Barros
2. Mamadu Djalo (Corca)
3. Daniel Cassimiro Gomes 
4. Carlitos Djedju
Suplentes
1. Ana Paula Oscar Pereira
2. Rui Gonçalves Cardoso
3. Jean Claude Sanhá 
4. Cassimo Ba

CE. 22 Diáspora Africa 
Efectivos 
1. Leopoldo da Silva
Suplentes
1. Pedro Barbosa Mendonça 
2. Carlos Augusto Correia
3. José Buntche
4. Amélia Cassamá

CE. 23 Diáspora Europa
Efectivos
1. Iafai Sani
Suplentes 
1. Caetano José Baticam Ferreira
2. Maimuna Baldé 
3. Aldonça Gomes Pinto Ramos
4. Rui F. Ribeiro Pinto

CE. 24 SAB
Efectivos 
1. Almame Cassamá 
2. Issbel Kassimo Gomes
3. Hussein Faraht
Suplentes 
1. Pascoal Vaz Monteiro
2. Julia Ramalho S. Gama 
3. Marciano Batista
4. Issufo Baldé 
5. Seco Ba Cassamá

CE. 25 SAB
Efectivos
1. Camilo Simões Pereira 
2. Babuna Djabi
3. Luis Leopoldo Cá
4. Cadi Seidi
Suplentes
1. Nhaga Bambo Mané 
2. João

SPECIAL OLYMPICS: Mais duas medalhas para a Guiné-Bissau

Guiné-Bissau continua imparável. Ontem, nos 200m Div: M01 Diniz Geraldo Cabral Júnior 4lugar

200m Div: M06 Amara Silla – medalha de participação (O Amara ficou em primeiro lugar mas, foi desclassificado por razões técnicas)

Hoje 18/3/2019
100m Div: F05 Elizandra Gomes 1 lugar (Medalha de Ouro)

100m Div: F02 Fidelia Cabral 1 lugar (Medalha de Ouro)

PAIGC

Somos gratos pelo voto de confiança. O PAIGC aumenta ainda mais a responsabilidade depois de ter sido o mais votado nas Legislativas 2019 e ter 47 deputados eleitos pelo povo. Vamos juntos reconstruir o nosso país.

1- Dan Iala N’Canha Baranção 2-Higino Cardoso 3-Madi Baldé 4-Joana Inácia Gomes 5-Wasna Papai Danfa 6-João Seideba Sané 7-José António da Cruz Almeida 8-Braima Djalo 9-Lassana Seidi 10-Papa Mané 11- Gabriela Fernandes 12-Alberto da Silva 13-Cipriano Cassamá 14-Jose Miguel Dias 15-Joaquim Amaro Gomes Mustasse 16-Francisco Conduto de Pina 17-Fofana Queita 18-Infamara Só 19-Matilde Indeque 20-Suzi Carla Barbosa 21-Jose Demba Buaró 22-Caramba Sacó 23-Umaro Demba Djamanca 24-Saliu Embaló 25-Carlos Nhapte 26-Victor Cassamá 27-Maria Adiatu Djaló Nandinha 28-Amizade Farã Gomes Mendes 29-Helder Henrique de Barros 30-Leopoldo da Silva 31-Iafai Sani 32-Almame Cassamá 33-Isabel Kassimo 34-Hussein Kamel Faraht 35-Camilo Simões Pereira 36-Babuna Djabi 37-Luis Jesus Leopoldo 38-Mario Musante da Silva 39-Maria Paula Costa Pereira 40-Salimato Cassamá 41-Maria Odete da Costa Soares Semedo 42-Fernando Iala 43-Bacar Djassi 44-Domingos Simões Pereira 45-Constantino Camala 46-Califa Seidi 47-Malam Fati

PAIGC

DATA PARA TOMADA DE POSSE DE NOVOS DEPUTADOS PODERÁ SER CONHECIDA NA SEXTA-FEIRA DIA 22-CNE


A Comissão Nacional de Eleições (CNE) da Guiné-Bissau iniciou hoje as formalidades para tomada de posse de novos deputados ao parlamento, eleitos nas legislativas de 10 de março, disse à Lusa o presidente da instituição, José Pedro Sambú.
Para próxima sexta-feira, está marcada uma reunião entre a CNE e o presidente do parlamento cessante, Cipriano Cassamá, e desta reunião sairá uma data para a posse de novos deputados, constituição da mesa e das bancadas do novo parlamento.

Uma carta dirigida ao parlamento, a solicitar a reunião, seguiu hoje para o gabinete de Cipriano Cassamá, atualmente ausente do país. A Lusa teve acesso hoje à cópia do edital a ser publicado nas Comissões Regionais de Eleições (CRE) e na própria CNE, em Bissau, contendo os números de votos obtidos pelos 21 partidos que disputaram as eleições, percentagem de cada um, os votos válidos, nulos, em branco e os de protestos.O documento também contém a taxa de participação e de abstenção registadas no processo.Com a publicação do edital, datado de 13 de março, a CNE já informou o Governo cessante, através do Ministério da Função Pública, sobre a urgência de o documento ser também anunciado através do Boletim Oficial (equivalente ao Diário da República).O presidente da CNE, José Pedro Sambú, acredita que toda essa tramitação será feita ainda no decurso desta semana.Com a posse dos novos deputados e uma vez que a CNE já comunicou ao Presidente guineense, José Mário Vaz, sobre os resultados eleitorais, este convidará ao partido vencedor que indique o nome do primeiro-ministro a quem dará posse e, subsequentemente, pedirá a lista do elenco governamental que também será empossado pelo chefe do Estado.José Pedro Sambú lembra que a lei determina que a investidura de novos deputados, bem como a posse do novo Governo, ocorram dentro de 30 dias após as eleições, mas salientou ser determinação da CNE “ter tudo feito no mais curto espaço de tempo possível”.

LUSA

Crise’ nos renovadores: MOVIMENTO LIDERADO POR SORI DJALÓ PEDE DEMISSÃO COLETIVA DA DIREÇÃO DE NAMBEIA

18/03/2019 / OdemocrataGB / One comment

  148  0  0

O Movimento de Salvação do Partido da Renovação Social e da Memória de Koumba Yalá (MS-PRS), liderado pelo antigo presidente da Assembleia Nacional Popular e um dos fundadores do partido, O Professor Ibraima Sori Djaló, pediu esta segunda-feira, 18 de março, a demissão coletiva da direção superior do PRS dirigida por Alberto N’Bunhe Nambeia, num prazo não superior a 48 horas.

O pedido de demissão consta numa carta enviada ao presidente do Partido, com o conhecimento do Secretário-geral, Florentino Mendes Pereira.

A carta assinada pelo Coordenador do Movimento e antigo presidente interino do partido PRS a que a redação do Jornal O Democrata teve acesso sustenta que, “pelo superior interesse da subsistência do partido, da democracia na Guiné-Bissau e da própria nação, é chegada a hora de permitir que os militantes renovem democraticamente a sua confiança em novas pessoas”.

“Como é do seu conhecimento, Senhor presidente, o desastroso resultado destas eleições teve consequências incalculáveis para o partido e inevitavelmente e também para o país e levou a perda de 20 deputados de uma só vez, passando de 41  para uns escassos 21. Esse desempenho tem que ter consequências nas figuras do partido a quem se possa atribuir tais resultados, como é o caso da Vossa Excelência”, lê-se. O movimento pede a sua demissão juntamente com toda a sua equipa no prazo de 48 horas, caso contrário, acionará os mecanismos com vista ao afastamento de Alberto Nambeia da liderança do partido fundado por Koumba Yalá.

O movimento foi constituído no seguimento dos resultados eleitorais obtidos nas eleições legislativas do passado dia 10 de março. Segundo a carta, o movimento pretende salvar o partido para evitar que as possíveis implicações nefastas dos resultados alcançados possam pôr em causa a subsistência do partido enquanto formação política e enquanto estrutura basilar na sociedade guineense.

O DEMOCRATA.

NERAM N’DOK – ILHA BIJAGÓS, GUINE-BISSAU

Neram N’Dok é uma expressão Bijagó que significa “levem e guardem convosco”. Este é um filme que traz consigo um olhar sobre um processo de governação participativa nas Ilhas Urok, uma área marinha protegida no Arquipélago dos Bijagós, Guiné-Bissau, onde a conservação, desenvolvimento, cultura e tradição são pilares indissociáveis nos quais assenta o modelo de gestão deste espaço. 

 Este filme foi feito no âmbito da parceria entre a Universidade de Aveiro e o Instituto Marqês de Valle Flôr, incluído no projecto Urok Osheni!, implementado pela ONG guineense Tiniguena e pela ONG portuguesa IMVF, tem como objectivo construir um modelo de desenvolvimento sustentável para a área marinha protegida comunitária das Ilhas Urok, na Guiné-Bissau. Este modelo é assente na governação participativa e na melhoria das condições de vida da população residente.

CACHEU, CAMINHO DE ESCRAVOS

 
A criação do Memorial da Escravatura em Cacheu visa resgatar a memória histórica da escravatura naquela região da Guiné-Bissau e das suas relações com os circuitos e os destinos do tráfico negreiro e assenta sobre a apropriação comunitária do Memorial e de todas as demais iniciativas previstas. O projecto do Memorial da Escravatura apresenta 3 vertentes principais:

O projecto do Memorial da Escravatura apresenta 3 vertentes principais:

  • Histórica – promovendo a investigação histórica e a difusão da temática da escravatura;
  • Cultural – promovendo a cultura e a identidade da cidade de Cacheu e da sua região e pondo em evidência as contribuições das diferentes etnias e a importância da língua crioula, que ali surgiu e se afirmou;
  • Económica – potenciando as actividades produtivas e de serviços como meio de redução da pobreza e desenvolvimento de novas atividades económicas.

A conjugação destas três vertentes permitirá afirmar este projecto, quer no plano local e nacional, quer no plano regional da África Ocidental, quer no plano internacional.Com efeito, a implantação e requalificação das infraestruturas e serviços propostos, o apoio ao desenvolvimento de estudos históricos, arqueológicos e antropológicos e a criação/inserção de Cacheu nos roteiros internacionais relacionados com a temática da escravatura constituirão uma base sólida de envolvimento e valorização da população local e, ao mesmo tempo, de afirmação nacional e internacional de uma cidade e de uma região empobrecidas e fragilizadas.O objetivo global do projecto consiste em promover a cultura, o património histórico e as expressões culturais, como um meio de desenvolvimento económico, facilitando aos intervenientes a respectiva formação e capacitação – contribuindo para uma cultura da paz, através da promoção do pluralismo cultural, do diálogo intercultural e da construção de novas identidades e cidadanias.A médio prazo, a produção artesanal e artística e a organização de circuitos turísticos históricos, culturais e ambientais, e a criação de condições de alojamento, restauração, formação de jovens e mulheres permitirão um impacto positivo na redução da pobreza.Pretende-se, designadamente,

  1. Promover o resgate e a difusão da cultura e história da cidade de Cacheu e da sua região, contribuindo especialmente para que os guineenses em geral e as novas gerações, designadamente as que estão em idade escolar, possam conhecer, valorizar e interiorizar o percurso dos que os antecederam e que, ao moldarem a maneira de ser guineense, condicionarão as suas opções futuras. As escolas do ensino primário e secundário desempenharão um papel relevante na difusão destes conhecimentos, contribuindo para desenvolver um sentimento de pertença nacional.
  2. Promover a cultura e identidade locais como meio de redução da pobreza. Os Festivais culturais, musicais, cinematográficos, gastronómicos e outros, bem como a edição de produtos culturais (CD/DVD de música tradicional e moderna, livros e brochuras, etc.), permitirão aos artistas aceder a recursos financeiros que melhorarão as suas condições de vida. Igualmente os grupos culturais tradicionais terão maior projeção e serão chamados a participar noutros eventos culturais tanto no país como no estrangeiro. As mulheres, para além das suas atividades económicas no sector informal, passarão a alargar o espectro das suas iniciativas a sectores como o alojamento e restauração para todos aqueles que visitarem a zona de Cacheu.
  3. Potenciar a diversidade cultural étnica enquanto factor de paz, desenvolvimento e unidade nacional. Na Guiné-Bissau, é fundamental a promoção da convivência interétnica, pelo que o projeto irá promover metodologias inclusivas, em que as expressões culturais diversas sejam apreciadas pela sua qualidade intrínseca e possam ser apropriadas pelas diferentes etnias. As associações culturais locais passarão a desempenhar um papel de maior protagonismo na defesa de uma cultura nacional em que os diferentes grupos sociais se revêm e reconhecem, sem que isto os obrigue a renunciar à sua que é a que melhor conhecem desde o seu nascimento. A valorização da cultura por aquilo que ela tem de global e universal, de beleza e conteúdo, levará todos e cada um a melhor apreciarem e adoptarem as manifestações artísticas de grupos sociais que não são necessariamente os seus.

Nesta perspectiva, e sem esquecer os objectivos primordiais do projecto, entendemos que a sua concretização pode igualmente contribuir para alcançar metas significativas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) estabelecidos pelas Nações Unidas.

PAIGC, APU, UNIÃO PARA A MUDANÇA E PND ASSINAM ACORDO DE INCIDÊNCIA PARLAMENTA

O Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde, a Assembleia do Povo Unido, a União para a Mudança e o Partido Nova Democracia assinaram hoje um acordo de incidência parlamentar para obterem maioria no parlamento.
O acordo, assinado numa unidade hoteleira em Bissau, permite que os quatro partidos juntos obtenham a maioria dos deputados do parlamento, nomeadamente 54 dos 102 deputados eleitos para a Assembleia Nacional da Guiné-Bissau, nas eleições legislativas de 10 de março.
O objetivo, segundo o documento divulgado à imprensa, é a estabilidade governativa, mas também o “resgate dos valores da democracia, devendo ser capitalizada e ajustada ao contexto de retorno à normalidade constitucional”.
No âmbito do acordo, os quatro partidos políticos comprometem-se a “entendimentos e consensos” no parlamento guineense relativos às “reformas políticas e institucionais necessárias ao normal funcionamento do Estado de Direito democrático, nomeadamente a revisão da Constituição da República, lei-quadro dos partidos políticos, lei eleitoral, bem como das reformas profundas dos setores de defesa e segurança, administração pública e justiça”.
O acordo prevê igualmente a formação de um Governo inclusivo que “reflita o presente entendimento entre as partes”.
Segundo os resultados definitivos das eleições legislativas de 10 de março na Guiné-Bissau, divulgados na sexta-feira pela Comissão Nacional de Eleições, o PAIGC obteve 47 deputados, o Movimento para a Alternância Democrática 27, o Partido de Renovação Social 21, a Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau cinco e a União para a Mudança e o Partido da Nova Democracia elegeram um deputado, cada um.

LUSA